A Casa Tomada

O nosso colega Elvio fez a gentileza de enviar-me muitos textos dos autores que trabalhamos ontem, Borges e Cortázar. Aos poucos vou alimentar nosso blog com eles. Ele também achou esse curta-metragem no youtube inspirado no conto A Casa Tomada, de Cortázar, que abordamos em sala de aula.

Fica a excelente dica:

 

 

Maupassantiana

Colegas, no site www.maupassantiana.fr  podemos encontrar muitas obras e demais referências acerca da vida e da obra de Guy de Maupassant.

Aqui, por exemplo, encontramos a obra dele disponível na internet em sua língua natal.

É possível também achar, aqui retratos e caricaturas de Maupassant.

Há também uma lista de filmes sobre a sua vida e também de adaptações das suas obras, como por exemplo, Le Horla e La Maison Tellier.

Posto abaixo  um extrato desse último, o filme La Maison Tellier, que achei no youtube:

Guy de Maupassant

Maupassant retratado por F. Nadar

Maupassant retratado por F. Nadar

Este é o retrato de Guy de Maupassant, realizado por Félix Nadar (1820-1910), que foi fotógrafo, caricaturista e jornalista, tendo se relacionado com os pintores impressionistas da sua época, como Monet, Renoir, Cézanne, e fotografado muitas outras personalidades como, por exempo, Charles Baudelaire, Gustave Courbet, Eugène Delacroix, Jules Verne e Alexandre Dumas

Abaixo, o filme “Le Rois du Coer”, traduzido para o português como “Este mundo é dos loucos”, que a professora Ana comentou na última aula. É uma comédia francesa de 1966, dirigida por Philippe de Broca, que pode muito bem dialogar com alguns contos de Maupassant, bem como com alguns contos do Machado de Assis, como também foi comentado no nosso útimo encontro.

“Total Eclipse”

Total Eclipse é o título do filme sobre a relação dos “poetas malditos” Verlaine e Rimbaud. O filme foi composto a partir das cartas trocadas entre ambos.

Coloco ele apenas agora no nosso site, com um relativo atraso em relação ao nosso conteúdo de aula sobre o simbolismo, mas certamente ainda em tempo de vê-lo.

Realizado em 1995, sob a direção de Agnieska Holland e com o roteiro de Christipher Hampton, foi tradizido para o português sob o título “Eclipse de uma paixão”

Aqui:

Une Femme Douce, de Bresson

Em 1969 Robert Bresson adaptou para o cinema o conto A Dócil, de Dostoiévski. É o primeiro filme a cores desse diretor. E nesse filme a atriz Dominique Sanda fez a sua estréia no cinema. Não conseguimos ele completo, mas no youtube é possível achar determinadas partes. Vou sugerir abaixo um trecho curto, mas que já pode passar uma boa impressão.

Aqui: